Notícia

Petrleo caro pode atrasar recuperao, diz JPMorgan

A escalada dos preos do petrleo nos ltimos meses colocou uma carga
inesperada sobre a economia mundial antes mesmo de a esperada
recuperao comear, afirma o diretor da diviso de economia global do
JPMorgan, David Hensley. A instituio construiu trs cenrios para
medir o impacto da alta da commodity sobre o desempenho da economia
mundial. No cenrio mais extremo, com o barril a US$ 100, os pases nos
mercados desenvolvidos provavelmente no sairiam da recesso no
terceiro trimestre deste ano.



A projeo central do banco
petrleo oscilando em torno de US$ 70 o barril no ltimo semestre, mas
o JPMorgan estuda trs outros cenrios para medir o que ocorreria se os
preos do petrleo no ficarem dentro da previso central. O cenrio
bsico, com petrleo em US$ 70/barril, sustenta o avano de 2% estimado
por Hensley para a economia mundial no terceiro trimestre, crescimento
de 0,7% para os pases nos mercados desenvolvidos e alta de 7,2% para
os emergentes tambm no mesmo perodo.



No primeiro cenrio
alternativo, o petrleo avana para US$ 80 por barril no terceiro
trimestre do ano e bate em US$ 90 no seguinte. O segundo estudo se
baseia no barril do petrleo a US$ 90 no terceiro trimestre, chegando a
US$ 100 no fim do ano.



O terceiro e ltimo cenrio, classificado
como "extremo", incorpora salto da cotao do barril a US$ 100 no
terceiro trimestre, subindo a US$ 120 no quarto perodo.



De
acordo com Hensley, o impacto imediato da alta dos preos o aumento
dos preos aos consumidores, deprimindo o poder de compra de
corporaes que so consumidoras lquidas da commodity e, de forma
geral, das famlias. Do lado da atividade econmica, um modelo do Fundo
Monetrio Internacional (FMI), citado pelo JPMorgan, indica que o preo
da commodity no primeiro cenrio retiraria, em mdia, 0,3 ponto
porcentual do PIB dos pases desenvolvidos no terceiro trimestre e 0,2
ponto no trimestre seguinte. Dos emergentes, 0,1 ponto seria retirado
em cada um dos trimestres.



O segundo cenrio reduziria, em
mdia, 0,6 ponto do PIB dos pases desenvolvidos no terceiro trimestre
e 0,2 ponto no quarto. Dos emergentes, a perda seria de 0,3 ponto e 0,1
ponto, respectivamente, no terceiro trimestre e no seguinte. J o
terceiro cenrio iria subtrair 0,8 ponto do PIB dos desenvolvidos no
terceiro trimestre e 0,3 no seguinte. Dos emergentes, a perda seria de
0,4 ponto no terceiro trimestre e 0,2 ponto no quarto.


Fonte: O Estado de S. Paulo
Data: 23/06/2009