Notícia

Fiat e GM reconhecem que subestimaram a demanda


A visvel melhora do mercado automotivo brasileiro levou algumas
montadoras a confessarem que erraram na conta e produziram menos do que
o tamanho da demanda do mercado interno no primeiro trimestre do ano.
Esse o caso da General Motors (GM), que aps admitir que pisou no
freio mais do que o necessrio para ajustar estoques, dever, durante o
segundo trimestre, elevar a sua produo em 37% na comparao com o
perodo anterior para recuperar vendas perdidas.




"Ns fizemos ajustes profundos e fomos mais pessimistas do que
realmente aconteceu com a indstria e produzimos menos carros do que
poderamos", afirmou o diretor de Vendas e Marketing da GM, Marcos
Munhoz, admitindo que faltaram carros da marca no mercado. Segundo o
executivo, a GM ir recuperar sua produo at junho, perodo em que a
montadora espera vendas "fortssimas". Para 2009, a empresa projeta
comercializar 540 mil unidades, somando mercado interno e exportaes.




O mesmo foi reconhecido pelo presidente da Fiat da Amrica Latina,
Cledorvino Belini, que admitiu que a montadora italiana reduziu a
produo mais do que o necessrio para ajustar a produo e que isso
fez com que a companhia perdesse market share durante fevereiro. "Ns
fechamos 2008 com o estoque quase zerado, mas no tivemos uma reao
rpida. Ns no espervamos que haveria esse salto do mercado", afirmou
Belini. De acordo com o executivo, a montadora dever fechar - assim
como a GM - o segundo trimestre com produo mais elevada do que a
anotada no trimestre anterior.O presidente da Fiat, no entanto, no
abriu as projees da companhia para o perodo.




De outro lado, a Ford comemora o seu aumento de participao de
mercado no primeiro quadrimestre de 2009, que saiu de 9,5% no mesmo
perodo de 2008 para 11,4%. "Agora, ns no estamos com limitaes de
capacidade. Ns queremos crescer em market share e vamos crescer em
relao a 2008", afirmou o presidente da Ford Brasil e tambm Mercosul,
Marcos Oliveira.




Segundo o executivo, o primeiro quadrimestre de 2009 foi positivo
devido s aes do governo brasileiro que aqueceu o mercado. "A nossa
produo no primeiro trimestre j cresceu bastante em relao ao quarto
trimestre. No meio de janeiro nosso estoque j estava ajustado", disse
Oliveira. Segundo o presidente da Ford, a montadora ir operar em um
nvel de produo para atender a demanda, "antecipando um nvel de
vendas parecido com o primeiro trimestre". De acordo com dados da
Anfavea (associao que rene as montadoras), no primeiro quadrimestre
de 2009 foram licenciados 902,7 mil automveis e comerciais leves,
apenas 0,7% inferior ao mesmo perodo do ano passado.





IPI




Apesar da Anfavea negar a extenso da reduo do Imposto sobre
Produtos Industrializados at o final do ano, as montadoras parecem
contar com o incentivo ao projetarem as suas vendas para o ano. A Fiat
projeta que as vendas brasileiras devero ficar em 2,72 milhes de
unidades. "O mercado est aquecido por conta da reduo do IPI e por
causa dos descontos das montadoras", afirmou o presidente da companhia
italiana, Cledorvino Belini. "A gente no pode contar com nada, mas eu
espero que isso ocorra [reduo do IPI at o final do ano] , j que o
governo est ganhando mais dinheiro com a medida", concluiu.




A Ford tambm estabeleceu seus nmeros projetados com o incentivo
at o final de dezembro. Segundo o presidente da Ford, a montadora est
trabalhando com estimativa de vendas de 2,75 milhes de unidades para
2009. A Anfavea projetou que as vendas de veculos no mercado interno
somem 2,71 milhes de unidades, com queda de 3,9% ante 2008





Reestruturaes




O interesse da Fiat pela GM na Amrica Latina foi negado por
Belini. Segundo ele, Sergio Marchionne - CEO da Fiat - manifestou
interesse pela Opel (subsidiria da GM na Alemanha), mas que "no
cogitou as operaes das Amrica Latina" e que h "muita especulao"
sobre o assunto.




Fonte: DCI - SP
Data: 12/05/2009