Notícia

Falta de repasse aprofunda diferena de preos

O preo do diesel vendido pela Petrobrs est hoje cerca de 50% acima
do valor no mercado americano, segundo especialistas consultados pelo
Estado. A diferena reflete a queda das cotaes do petrleo nos
ltimos meses, sem o repasse ao mercado interno. Na ltima vez em que o
produto foi reajustado, em maio de 2008, o petrleo Brent, negociado em
Londres, custava cerca de US$ 110 o barril. Ontem, fechou a US$ 51,96.



Na
ocasio, a estatal aumentou o preo do diesel em 15%, aps mais de dois
anos sem reajustes. Para evitar grande repercusso nas bombas de
combustveis, o governo reduziu em R$ 0,04 a Contribuio sobre
Interveno no Domnio Econmico (Cide), o imposto federal sobre os
combustveis, para R$ 0,03 por litro. Com isso, o aumento para o
consumidor final ficou abaixo dos 10%.



Mesma poltica foi
adotada para a gasolina, que subiu 10% nas refinarias, mas caiu R$ 0,10
na Cide, compensando a alta. Segundo especialistas, a gasolina
vendida hoje no Pas por at 30% acima da cotao americana, dependendo
do clculo. O produto tambm havia ficado mais de dois anos sem
reajuste antes das mudanas feitas pela estatal em maio de 2008.



O
mercado, porm, continua trabalhando com a possibilidade de reduo de
preos apenas em meados do ano, depois que a Petrobrs reverter as
perdas com a manuteno dos preos abaixo do mercado antes de maio de
2008 e nos meses seguintes, quando o petrleo chegou a US$ 140 o
barril. Essa estratgia foi reforada por declaraes da direo da
estatal, para quem os preos, analisados no longo prazo, esto
equiparados cotao internacional.



"Acredito que os reajustes
s sero feitos no segundo semestre", disse ontem o analista de
petrleo do BB Investimentos, Nelson Rodrigues de Mattos, argumentando
que a empresa precisa de caixa para sustentar seu programa de
investimentos. O mercado trabalha ainda com a hiptese de recomposio
nas alquotas da Cide, reduzindo os impactos positivos para o
consumidor. Ainda mais em um momento de busca por fontes de recursos
para bancar desoneraes tributrias.



" uma possibilidade, pode
aumentar a arrecadao do governo tirando dinheiro da Petrobrs, e no
do consumidor", diz o consultor Adriano Pires, do Centro Brasileiro de
Infraestrutura (CBIE). Ele diz que, historicamente, a Petrobrs costuma
mexer nos preos dos dois combustveis juntos. "Nunca na histria a
Petrobrs reajustou o preo de apenas um destes dois combustveis."


Fonte: O Estado S. Paulo
Data: 15/04/2009