Notícia

Venda de combustveis deve bater novo recorde


Brasil Econmico

Aps um perodo de
desacelerao, no incio do segundo semestre, as vendas de combustveis
no pas voltaram a crescer no pas. Segundo dados da Agncia Nacional do
Petrleo, Gs Natural e Biocombustveis (ANP), as distribuidoras de
derivados de petrleo venderam 120,1 bilhes de litros at outubro, alta
de 5,7% com relao ao mesmo perodo do ano anterior. A expectativa
que, mesmo com o fraco desempenho da economia, o mercado brasileiro de
combustveis volte a bater recorde de vendas este ano, mantendo um ciclo
de alta que dura desde 2004.

As vendas de carro cresceram nos ltimos anos, a gasolina estava barata
e o transporte coletivo ruim: tudo conspira para que o consumo de
combustveis continue crescendo, analisa o diretor do Centro Brasileiro
de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires. De fato, o crescimento das
vendas tem sido puxado pelos combustveis do que abastecem veculos de
passeio. As vendas de gasolina, por exemplo, chegaram, nos dez primeiros
meses do ano, a 36,6 bilhes de litros, crescimento de 7,9% com relao
ao mesmo perodo do ano passado. Em agosto, a alta na mesma base de
comparao era de 7,2% em um indicativo de retrao com relao ao
incio do ano, quando o ndice chegou a bater 11%.

As vendas de diesel apresentam comportamento semelhante: chegaram a
registrar alta de 5,8% em fevereiro, mas desaceleraram at 2,3% em
agosto. As estatsticas mais recentes, que incluem outubro, mostram
recuperao para uma alta de 3% no ano, com o volume acumulado de 50,4
bilhes de litros. Combustvel usado no transporte de cargas, o diesel
costuma apresentar maior aderncia s variaes da atividade econmica,
comenta Pires.

Com a crise, comeam a cair as vendas de combustveis mais ligados
indstria, como diesel e leo combustvel, diz ele. Mas com o aumento
de preos, pode ser que haja uma desacelerao nos combustveis
automotivos, completa.

Os dados da ANP foram coletados ainda antes dos reajustes promovidos
pela Petrobras no incio de novembro que aumentaram o preo do diesel
em 5% e a gasolina em 3%, movimento que pode dar maior espao ao etanol.
Nas bombas, a alta at a primeira semana de dezembro foi de 2,43% no
caso da gasolina e de 4,16% no caso do diesel, segundo levantamento
semanal de preos feito pela ANP. Atualmente, os preos dos dois
combustveis esto mais caros no Brasil do que no mercado internacional,
garantindo Petrobras a recuperao de parte das perdas que acumulou
com a defasagem nos ltimos anos.

O aumento das vendas de gasolina e diesel tem sido suportado sem mais
importaes. Segundo dados da Secex compilados pela ANP, as compras
externas de combustveis caram 2,7% nos primeiros 10 meses do ano.

Usinas esperam retomada das vendas de etanol

As estatsticas da ANP sobre vendas das distribuidoras mostram que o
etanol hidratado o nico combustvel automotivo que permanece em ritmo
de desacelerao: depois de crescer 26,2% em janeiro, registra alta de
10,7% no acumulado do ano, o menor percentual dos 10 meses pesquisados.
Entre janeiro e outubro, as distribuidoras de combustveis venderam 10,4
bilhes de litros de etanol hidratado.

O mercado, porm, espera uma recuperao do ritmo de crescimento com a
perspectiva de aumento percentual da mistura do biocombustvel na
gasolina, alm da eventual retomada da Contribuio de Interveno no
Domnio Econmico (Cide), aponta anlise do Centro de Estudos Avanados
em Economia Aplicada (Cepea) divulgado ontem. O nmero de negcios
efetivados nos ltimos dias foi expressivo, com usinas se mantendo
firmes quanto aos valores pedidos, afirma o texto.

Entre 1 e 5 de dezembro, o Indicador Cepea/Esalq do etanol hidratado
foi de R$ 1,2638 por litro (sem impostos). O preo do anidro (misturado
gasolina) fechou a R$ 1,3897 por litro. Fonte do governo consultada
pela Reuters recentemente disse que est em anlise o aumento da
alquota da Cide sobre combustveis, zerada desde 2012. De acordo com a
fonte, alm de gerar receita anual superior a R$ 10 bilhes, o tributo
vai melhorar a competitividade do etanol no mercado brasileiro.



Data: 09/12/2014