Notícia

Obras do Gasoduto Brasil Central devem comear no prximo ano

A empresa Transportadora de Gs do Brasil Central (TGBC) conseguiu
no dia 24 passado dar o primeiro passo concreto para a construo da
Gasoduto do Brasil Central: obteve do Instituto Brasileiro do Meio
Ambiente e dos Recursos Naturais Renovveis (Ibama) a chamada licena
prvia. Agora, a empresa tem 180 dias para elaborar e apresentar o
Plano Bsico Ambiental. Se aprovado o plano, o rgo ambiental
conceder a licena de instalao, fase que antecede a definitiva
autorizao de construo. A expectativa da TGBC de que a liberao
da obra ocorra at o segundo semestre do prximo ano.




Obra




O Gasoduto do Brasil Central, que est orado em US$ 1 bilho (R$
1,8 bilho no cmbio atual), ser financiado com recursos da Conta de
Desenvolvimento Energtico (CDE), um fundo financiado com encargos
setoriais pagos pelas empresas distribuidoras de energia.




A obra ter uma extenso de 903 quilmetros interligando So Carlos
(SP) a Braslia (DF), passando por 38 municpios, 17 deles em Gois.
Com tubulao de 20 polegadas de dimetro, o duto ter capacidade para
transportar 5,5 milhes de metros cbicos de gs/dia. Em territrio
goiano o gasoduto ter dois pontos de distribuio: um, em Silvnia, e
outro, em Caldazinha.





Concluso




O diretor administrativo-financeiro da TGBC, Andr Macedo, diz que
o prazo de construo do gasoduto est estimado em 36 meses, aps a
liberao da obra pelos rgos ambientais, o que significa que poder
estar concludo at 2014.




De acordo com Andr Macedo, a obra ser dividida em quatro trechos,
um dos quais em Gois, e deve gerar 3.100 empregos durante toda a sua
execuo. O diretor da TGBC explica que gasodutos no so objetos de
concesso, mas de autorizao de construo. No caso do Gasoduto do
Brasil Central, a TGBC no transportar produto prprio, mas gs
natural pertencente Petrobras.





Distribuio




No Estado, a distribuio do gs ficar a cargo da Goiasgs,
empresa de economia mista da qual fazem parte tambm a Petrobras, a
prpria TGBC e outros acionistas menores. Para o presidente da empresa,
Jos Alves Quinta, o Gasoduto do Brasil Central ser uma das mais
importantes obras de infraestrutura para o Estado, ao lado da Ferrovia
Norte Sul.





Projeto vai atrair mais indstrias




Segundo o presidente da Goiasgs, Jos Alves Quinta, a chegada do
gs encanado ser um fator de expanso e consolidao industrial do
Estado. "O gs chega no s para atender as indstrias j instaladas,
lhes dando melhores condies de produtividade e competitividade, mas
tambm como vetor de atrao de novos investimentos", argumenta.




H um planejamento macro para a distribuio do gs no Estado,
principalmente em Goinia, Aparecida de Goinia e Anpolis, mas no h
projeto da rede de distribuio propriamente dita. "Esse detalhamento
vai depender da demanda concreta", esclarece Jos Alves, acrescentando
que j existem tratativas com muitos provveis clientes.





Vantagens




Conforme o presidente da Goiasgs, o gs natural trar inmeras
vantagens, tanto para a sociedade em geral como para o consumidor em
particular. Ele cita, dentre outras, a atrao de novas indstrias para
o Estado; a melhoria da competitividade da indstria local, visto que o
combustvel mais barato permite a reduo dos custos de produo; e a
reduo dos gastos com sistemas de diminuio da poluio, tendo em
vista a queima mais limpa do gs natural.




Embora o foco inicial seja a indstria, explica Jos Alves Quinta,
a inteno de posteriormente disseminar a distribuio do gs para
outros segmentos da economia, como o comrcio, condomnios residenciais
e at para a gerao de energia, atravs de termoeltricas. " claro
que algo bem para o futuro, mas nada impede que cheguemos l", frisa
o presidente da Goiasgs.



Fonte: O Popular / GO
Data: 08/09/2010