Notícia

Petrleo no subsolo negociado no mundo a US$ 5 o barril, diz analista

O preo do petrleo de reservas no subsolo negociado na faixa de
US$ 5 a US$ 6 por barril em qualquer parte do mundo. A informao foi
dada ontem pelo especialista Srgio Possato, presidente da consultoria
Stratageo Solues Tecnolgicas. Segundo Possato, apesar de as empresas
contratadas por Petrobras e Agncia Nacional do Petrleo (ANP) para
certificar as reservas do pr-sal terem usado premissas diferentes, no
h explicao para a disparidade de preos: a DeGolyer, contratada pela
Petrobras, teria chegado ao valor de US$ 5 a US$ 6 por barril, enquanto
a Gaffney, contratada pela ANP, teria apresentado preo entre US$ 10 a
US$ 12 o barril.



No entendo a diferena to discrepante entre as duas empresas.
No conheo o trabalho da Gaffney, mas as duas deveriam chegar a
nmeros prximos, apesar de utilizarem variveis e premissas
diferentes. O que mais me espanta a diferena to discrepante, uma
com valor do mercado e outra o dobro destacou Possato.





Empresa ressalta que ambas avaliaes sero analisadas




A Petrobras tentou justificar as divergncias em nota, explicando
que as avaliaes envolvem muitas variveis e interpretaes tcnicas
com base em dados geolgicos. As avaliaes independentes so
apresentadas de forma preliminar devido ao grande nmero de variveis
envolvidas, que comportam interpretaes tcnicas diferentes
decorrentes de aspectos geolgicos, de engenharia de petrleo e
econmicas que precisam ser discutidas por todos os tcnicos
envolvidos, disse a empresa em comunicado.




A companhia ressalta que o preo final do petrleo para a cesso
onerosa, operao pela qual a Unio ceder estatal at cinco bilhes
de barris das reservas do pr-sal como forma de capitaliz-la, ter
como referncia avaliaes das duas classificadoras.




O ex-diretor-geral da ANP David Zylbersztajan, por sua vez,
acredita ser possvel as avaliaes terem chegado a preos to
diferentes. Segundo ele, as companhias utilizam muitas premissas e
muitas variveis, algumas delas at subjetivas, que podem levar a
concluses bem distintas.




As duas certificadoras podem estar certas, em funo das
premissas e critrios usados. Mas o fato de a concluso de cada uma ter
sido ao gosto do fregus indica que muita futurologia e
chutologia afirmou Zylbersztajan.





Premissas so fornecidas pela contratante




Ele frisou ser natural que o resultado de um servio desses acabe
sendo favorvel a seu contratante. Isso porque, entre outros fatores, o
trabalho feito com base em algumas premissas que so fornecidas pela
empresa contratante. Alguns princpios que podem variar de empresa para
empresa so o tempo de produo da reserva, quanto tempo levar para o
desenvolvimento do campo e a logstica que ser usada para a sua
explorao.




No d para afirmar que uma avaliao est certa e a outra
errada. Essa diferena possvel. S que o edifcio mais barato pode
ruir, e o mais caro pode se tornar invivel de to caro disse
Zylbersztajan.




A Petrobras tentou tranquilizar os acionistas minoritrios
afirmando que os termos finais do contrato da cesso onerosa sero
submetidos aos rgos decisrios da companhia nos moldes do seu modelo
de governana corporativa, incluindo o Comit dos Minoritrios,
garantindo transparncia e equidade a todos os acionista.



Fonte: O Globo
Data: 24/08/2010