Notícia

Especialistas esperam reforma tributria possvel



Pesado e complexo, o sistema tributrio brasileiro pode comprometer o
potencial de crescimento da economia, estimado pelo governo entre 5% e
5,5% no perodo de 2011 a 2014, ao subir custos e inibir investimentos.



O atual governo e o anterior no conseguiram tirar do papel propostas
de reforma tributria. Todas as tentativas esbarraram em interesses
variados e foram deixadas de lado para evitar desgaste poltico.



Ainda que em fase embrionria, o tema volta pauta dos partidos no incio da campanha eleitoral.



Mas o empresariado e a sociedade devem estimular a retomada, para
valer, dessa discusso, que, segundo especialistas, voltada mais para
a reduo dos gastos. A novidade que ningum mais conta com reformas
radicais no setor.



A Confederao Nacional da Indstria (CNI) a primeira a entregar a
agenda de mudanas necessrias ao Congresso e aos partidos quer a
reforma possvel, com alteraes simples, infraconstitucionais, caso as
mais complicadas no sejam viveis.



Precisamos de um sistema que no tenha as disfuncionalidades do
autal. Oneram-se as exportaes, os investimentos, a intermediao
financeira e o emprego formal disse o presidente da CNI, Armando
Monteiro, lembrando que o custo de construo de uma indstria de papel
e celulose no Brasil 18% mais alto do que no Chile.



Neste momento, est sendo fundado o Movimento Brasil Eficiente, criado
por iniciativa de empresrios e entidades de classe. O grupo acaba de
contratar o tributarista Raul Velloso para estudar uma reforma dos
gastos. A ideia cortar despesas pblicas e torn-las mais eficientes
para, s ento, tratar de reduo e alterao dos tributos. O
especialista afirma que o Brasil gasta mais do que outros pases em
vrios setores, mas gasta mal.



Existe um grande cansao por parte da sociedade em relao ao tema reforma tributria.



So muitos interesses em jogo. No acho que seja vivel mudar o atual
sistema. No h proposta que seja simples. Todas promovem grandes
alteraes.



Como explicar para quem perder que est certo perder? disse Velloso.



Segundo ele, as reformas precisam se dar muito mais do ponto de vista do gasto do que da conformao dos tributos.



A discusso deve partir do setor produtivo. o empresariado e a
sociedade de maneira geral que devem lanar o tema na pauta dos
partidos polticos. Eu me sinto velho s de pensar na quantidade de
vezes em que se falou em reforma tributria durante tantos anos...
disse.



Durante o discurso do lanamento da sua pr-candidatura, o
ex-governador de So Paulo Jos Serra chamou de sideral a carga
tributria brasileira. Mas nem ele nem a pr-candidata do PT, Dilma
Rousseff, detalharam ainda suas propostas.


Fonte: O Globo
Data: 27/04/2010