Notícia

Litro da gasolina fica mais caro

Os preos da gasolina nas bombas dos postos de Joinville aumentaram,
nesta semana, pela primeira vez desde a primeira quinzena de fevereiro.
Segundo levantamento divulgado ontem pela Agncia Nacional do Petrleo
(ANP), o motorista est pagando, em mdia R$ 2,428 na hora de encher o
tanque do carro. 1,5% a mais do que na semana passada, quando o
combustvel custava R$ 2,392.

Dois motivos justificam o aumento nos preos. Os postos aumentaram a
sua margem de lucro a diferena entre o que os motoristas pagam pelo
combustvel e o que os donos das revendas pagam s distribuidoras.
Estas esto comeando a cobrar mais dos postos. O menor preo por litro
cobrado passou de R$ 2,08 para R$ 2,125.

A alta no derivado do petrleo, aliada queda no preo do lcool nas
bombas que foi de 1,5% na ltima semana , diminuiu a diferena de
preos entre os dois combustveis.

Mas, para os donos de carros bicombustveis, ainda no compensa encher
o tanque do carro com o derivado da cana. O litro de lcool, que custa
em mdia R$ 1,875 nos postos, corresponde a 77,2% do preo da gasolina.
Para valer a pena, preciso que esta relao seja de 70%. que o
rendimento de um carro movido a lcool corresponde a 70% do desempenho
de um abastecido com gasolina. Em fevereiro, esta relao era de 86,2%.

O ritmo da queda no preo do lcool, que de 17,7% desde a primeira
quinzena de fevereiro (veja grfico abaixo) pode diminuir nas prximas
semanas, o que pode dificultar que o derivado da cana fique mais
competitivo do que a gasolina.

O preo mdio do lcool combustvel teve fortes altas nesta semana nas
usinas de So Paulo, de acordo com os indicadores semanais do Centro de
Estudos Avanados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq).

O lcool combustvel disparou 18,7% e foi negociado, em mdia, a R$
0,9139, ante R$ 0,7698 o litro na semana anterior. J o preo mdio do
litro do anidro, usado na mistura na gasolina, subiu 5,67%, de R$
0,8852 para R$ 0,9353 no mesmo. Segundo Ivelise Rasera Bragato,
pesquisadora do Cepea, a oferta de etanol neste comeo de safra de
cana-de-acar no Centro-Sul foi reduzida pelas chuvas que atingiram
regies produtoras, prejudicaram a colheita e a produo do
combustvel, bem como puxaram os preos.

J a demanda, principalmente pelo hidratado, tambm foi firme, com
vrias distribuidoras indo s compras at quarta-feira, quando as altas
dirias foram mais constantes. A partir de quinta-feira a demanda e os
preos ficaram mais estabilizados, disse Ivelise.

Fonte: A Notcia
Data: 13/04/2010