Notícia

Evitar queda maior do PIB custou R$ 280 bilhes


A poltica anticclica do governo para combater os efeitos da crise
econmica mundial no pas em 2009 somou quase R$ 280 bilhes. Esse
montante incluiu, por exemplo, R$ 100 bilhes para capitalizar o BNDES,
R$ 100 bilhes da liberao de compulsrios para que os bancos pudessem
emprestar dinheiro no mercado e R$ 25 bilhes em desoneraes
tributrias, como a reduo do Imposto sobre Produtos Industrializados
(IPI) para veculos, eletrodomsticos da linha branca e materiais de
construo.


Segundo tcnicos do governo, essas aes permitiram que a atividade se
recuperasse mais rapidamente - a economia voltou a crescer j no
segundo trimestredo ano - e evitaram que a queda de 0,2% no Produto
Interno Bruto (PIB) fosse ainda maior.


Petrobras foi liberada de meta fiscal



Foram injetados tambm R$ 17 bilhes pelo reajuste do salrio mnimo e
R$ 29 bilhes relativos ao reajuste do funcionalismo pblico. De acordo
com os tcnicos da rea econmica, esses recursos estimularam o consumo
e ajudaram a reativar o mercado interno.



- O dinheiro que entrou em circulao no mercado ajudou a aumentar o
consumo das pessoas, que puderam comprar bens como veculos e
eletrodomsticos - disse um tcnicodo governo, lembrando que o consumo
das famlias cresceu 7,7% no quarto trimestre do ano em relao ao ano
anterior.



As aes anticclicas tambm foram direcionadas a aumentar os
investimentos pblicos. A Petrobras, por exemplo, foi retirada do
clculo da meta de supervit primrio (economia de recursos do governo
para o pagamento de juros da dvida pblica). Sem ter que guardar
dinheiro para cumprir metas fiscais, a estatal teve liberados R$ 15
bilhes para investimentos.



Alm disso, o governo reduziu a meta de primrio do ano de 3,3% para
2,5% do PIB. O esforo fiscal de estados e municpios, alm do governo
federal, caiu R$ 24 bilhes. Este ano, no entanto, o ministro da
Fazenda, Guido Mantega, j afirmou que os estmulos da poltica
anticclica j podem ser reduzidos. Ele j anunciou que as redues de
impostos feitas e que acabam ao longo de 2010 no sero renovadas.



- A economia j est recuperada e com dinamismo forte - disse o ministro.



Fonte: O Globo
Data: 12/03/2010