Notícia

Oposio ameaa abandonar de vez CPI da Petrobrs


Sem acesso a informaes e documentos, a oposio est disposta a jogar
a toaliia e abandonar a CPI da Petro-brs, no incio desta semana.
Totalmente controlada pelo governo, a Comisso Parlamentar de Inqurito
acabou esvaziada depois de trs meses de funcionamento. Nesse perodo,
os oposicionistas no conseguiram aprovar a convocao de envolvidos em
supostas irregularidades com a estatal nem consultar a papelada enviada
ao colegiado.


"Defendo a tese de que a gente saia da CPI para no compactuar com
essa encenao. Se continuarmos, vai parecer que estamos concordando
com algo esprio", afirma o senador lvaro Dias (PSDB-PR), autor do
requerimento da comisso. "Vamos decidir se vale a pena ou no deixar a
CPI da Pe-trobrs. muito grave abandonar a comisso porque isso pode
significar o fim das CPIs, que so um instrumento poderoso de
fiscalizao do governo", pondera o lder do PSDB, senador Artliur
Virglio Neto (AM).


Na tera-feira, as bancadas tucana e do DEM devero ser reunir para
decidir o que fazer. Dos 11 titulares, a oposio tem s 3 membros, o
que impossibilita a aprovao de qualquer medida que desagrade ao
governo e Pe-trobrs. "Ocorreu o que eu mais temia: o governo
conseguiu manter a caixa-preta da estatal", diz o lder do DEM no
Senado, Jos Agripino Maia (RN).


Blindada pela tropa de choque do governo, a CPI teve 11 reunies
desde sua instalao e tomou o depoimento de meia dzia de diretores da
estatal. O relator, senador Romero Juc (PMDB-RR), j avisou que
pretende apresentar suas concluses em dezembro. Devero constar
propostas para melhorar a administrao, como uma legislao especfica
para licitaes.



"O interesse do governo nessa CPI descomunal. Por isso, no conseguimos avanar nada", lamenta Dias.



ONSs


Mais antiga comisso em funcionamento no Senado, a CPI das ONGs
outra em que no houve avano por causa da blindagem gover-nista. O
pice das investigaes ocorreu no ano passado, quando foram detectadas
irregularidades em uma fundao de apoio ligada


Universidade de Braslia. A CPI s voltou a ganhar notoriedade em
maio deste ano: na poca, a oposio ficou com a relatoria das
investigaes, em represlia tropa de choque do governo na CPI da
Petrobrs.


Criada em maro de 2008, a comisso para apurar o uso da internet
para crimes de pedofilia acabou se transformando na "CPI palanque" do
senador Magno Malta (PRS). Praticamente nenhum dos sete integrantes
aparece nas reunies. O senador j viajou com assessores para os
Emirados rabes, em Dubai, eos EUA. Tambm fez um giro sozinho nos
Estados para colher depoimentos. Apesar das crticas recebidas, a
co-missoj apresentou resultados - idealizou um projeto de lei,
sancionado pelo presidente Luiz Incio Lula da Silva, que aumenta a
punio e a abrangncia desses crimes.

Fonte: O Estado S. Paulo
Data: 04/11/2009