Notícia

Procon nega cartel em Rio do Sul



rgo fez levantamento com base nos valores
das notas fiscais dos postos de combustveis da cidade




 O Procon de Rio do Sul constatou que no h
cartel nos postos de combustveis do municpio. A verificao ocorreu aps o
rgo exigir a nota fiscal dos estabelecimentos para comprovar o valor pago pelo
produto. Segundo o diretor do Procon, Farley Dvila, todos os postos
encaminharam a documentao exigida. No est prevista outra ao especfica
sobre o setor em breve, mas a fiscalizao permanece.

Vamos continuar
fazendo a pesquisa de preos com a inteno de disponibilizar para a populao
as informaes sobre os preos mais baixos, apesar dos valores terem pouca
diferena explica a fiscal de relao de consumo do Procon, Andria
Paternolli.

A deciso de requerer a nota fiscal dos postos foi tomada com
base na ltima pesquisa de preos de combustvel vista, dia 9 de junho. O
levantamento feito pelo Procon pretendia assegurar aos consumidores a
possibilidade de buscar o menor preo. Mas como a diferena era quase
inexistente, o prprio diretor do rgo reconhecia que a populao ficava refm.
Com a comparao do preo pago pelo produto e do valor vendido, Dvila ficou
convicto de que se trata de uma questo de mercado:

Os proprietrios
esto ganhando R$ 0,20 por litro de gasolina vendida. Considerando as despesas,
est dentro da normalidade avalia.

O presidente da Associao dos
Postos Revendedores de Combustvel de Rio do Sul e Regio, Orival Henrique
Seola, preferiu no se manifestar a respeito.

O desafio do Procon agora
fazer com que as agncias bancrias cumpram a lei. O objetivo que os bancos
respeitem o tempo mximo de atendimento na fila, disponibilizem mquina para
emisso de senha, presena de tarifrio informando sobre produtos, servios e
tarifas da agncia, sistema de atendimento preferencial a idosos, gestantes e
cadeirantes e quantidade suficiente de cadeiras para que os consumidores
aguardem atendimento sentados.



Fonte: Jornal de Santa Catarina
Data: 27/08/2009